Ensaios

AUTOSSABOTAGEM

Já notou como o Facebook tornou-se imprescindível em nossas vidas, e como é um vício relativamente novo? O Orkut fez a nossa inserção, como se fosse uma semente jogada na terra. Esse tipo de manifestação se parece com uma árvore, e todos os processos que envolvem o seu crescimento são os nossos clicks. Então aparecem os bichos, se é uma árvore. Cada um de nós sendo um bicho diferente e recebendo todo tipo de alimento informativo dessa manifestação. No Facebook, as páginas são galhos que levam a folhas e bichos diferentes, em cada canto sendo declarada a vontade de cada um. Bem, teve o Orkut, que talvez nem seja realmente a semente-mor, mas o fato é que a árvore continua o seu desenvolvimento, e como sempre uma hora terminará sua função e desaparecerá, mesmo aquelas que duram dois mil anos. É essencial perceber o nível de autossabotagem que as mídias sociais nos incutem e desfocar a mente do excesso de informação. Não é possível, nas especificidades, adentrarmos o todo. No entanto, à partir do todo, buscando-o, podemos desvendar particularidades essenciais de nossas vidas; e com um pouco de bom senso podemos nos livrar de males modernos que corrompem nosso pensamento. Ou melhor, não deixam nossa mente quieta, sendo eternamente a assassina do Real, como foi misticamente colocado pela magistral Helena Blavatsky, em A Voz do Silêncio — muito antes das redes sociais.

Anúncios